Semana Oração Vocações 2019

A Semana de Oração pelas Vocações, assinalada já desde há 56 anos a esta parte e celebrada pela Igreja do mundo inteiro, constitui um desafio para que todos,

particularmente os cristãos, possam refletir sobre a incontornável dimensão vocacional da vida de cada ser humano, rezando pelas vocações no seio da Igreja (matrimónio, sacerdócio, vida consagrada e vida laical).

Tendo lugar em pleno tempo da Páscoa, quando trazemos no coração e nos lábios, de modo particularmente mais intenso, o anúncio festivo da Ressurreição de Jesus, esta Semana, realizada entre os III e IV domingos deste tempo e culminando naquele que é conhecido como o domingo do Bom Pastor, Dia Mundial de Oração pelas Vocações, o que este ano corresponde ao intervalo de dias entre 5 e 12 de maio, recorda-nos que as vocações na Igreja têm uma marca profundamente pascal, porque todas nos interpelam para o serviço aos outros, para o amor sem medida, para a entrega da vida, para o risco de procurarmos a alegria inédita e indiscritível que se ergue e se descobre na manhã perfumada e luminosa da Ressurreição.

Na verdade, a vocação joga-se, precisamente, neste binómio da ousadia e da alegria, da renúncia e da esperança, do risco e da promessa de que nos fala o Papa Francisco na Mensagem que publicou para esta semana, subordinada ao tema “A coragem de arriscar pela promessa de Deus”, que surge como o primeiro dos documentos que integram este conjunto de propostas. Inspirando-se no texto relativo à vocação dos primeiros discípulos, o Santo Padre recorda-nos que todos nós, batizados, somos chamados pelo Senhor Jesus à Missão de “pescadores de homens”. O Papa desafia-nos a não ficarmos parados na praia, com as redes na mão… No fundo, que cada um se sinta interpelado a contemplar os horizontes mais belos da missão da evangelização, para que diante do chamamento de Jesus que vem ao nosso encontro nas praias da nossa vida, tenhamos a coragem de arriscar com Ele e por Ele, aventurando-nos por novas rotas, rumo a um “sonho maior”!

Por sua vez, o tema proposto pelo Sumo Pontífice encontra uma profunda interligação com o Ano Missionário proposto pela Conferência Episcopal para este ano. Na verdade, ser missão (o missionário é um enviado) é deixar-se “ser promessa”, deixar-se interpelar por Jesus que nos faz a sua “promessa”, como outrora aos primeiros discípulos, e como o Santo Padre refere na sua Mensagem: “Farei de vós pescadores de homens”. Neste caso, “a coragem de arriscar pela promessa de Deus” significa deixar-se comprometer ou, se quisermos, sentir o desejo de Deus de assumir uma atitude que nos “compromete” “a seguir”, que nos “envia” “de seguida”, ou seja, uma promessa que dá esperança e propõe o compromisso de nos deixarmos enviar no presente e no futuro como trabalhadores da seara do Senhor.

Ora, e como já referido, é este desafio que queremos levar a todos, particularmente aos mais jovens das nossas comunidades. Por isso, o conjunto de subsídios que aqui apresentamos e propomos, este ano preparados pelo Departamento Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Braga, procuram contemplar e atender a toda transversalidade e centralidade de que se deve revestir a Pastoral Vocacional no coração de cada comunidade e de cada ação pastoral.

Assim, desde um hino e respetivo videoclipe, assim como uma proposta de momento cultural, que ultrapassam largamente as fronteiras do estritamente religioso, propomos ainda um vasto leque de subsídios que convidam à oração, em diferentes contextos e dedicados a várias faixas etárias (Oração da Semana, Vigília de Oração, Lectio Divina, Mistérios do Terço e Orações “Passo-a-Rezar”).

Destaque ainda para todas as ações de formação, dirigidas, em primeiro lugar, a todos os agentes de pastoral (sacerdotes, catequistas, coordenadores de grupos de jovens, coordenadores de acólitos, chefes de guias de Portugal, chefes de escuteiros, professores de EMRC…), na medida em que estes têm um papel fulcral na dinamização de uma semana como esta, assim como no acompanhamento do processo de discernimento vocacional dos que lhes são confiados, particularmente os mais jovens, atendendo às diretrizes lançadas pelo mais recente Sínodo dos Bispos, realizado em Roma em outubro de 2018 e sob o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

As propostas de formação, adaptadas às diferentes faixas etárias, também se dirigem, em contexto de catequese, às crianças, adolescentes, jovens e pais / adultos / família, assim como aos alunos das aulas de EMRC.

De salientar ainda os textos e música para as celebrações litúrgicas e as propostas para momentos mais lúdicos e, ao mesmo tempo, formativos e com um forte convite à oração e à reflexão, como uma Peregrinação Vocacional e uma proposta de itinerário de visita a um Seminário ou Instituto Religioso.

Não obstante as especificidades próprias de cada documento e o facto de encontrarem aplicabilidade em diferentes e apropriados contextos, há um elemento comum que predomina em todas as propostas deste elenco. Estes subsídios podem ser um rico e importante recurso mesmo fora desta Semana de Oração pelas Vocações de 2019, seja em próximas edições desta iniciativa, seja em qualquer outra altura do ano ou no contexto de diferentes atividades que se possam realizar no âmbito de uma paróquia, arciprestado ou diocese.

O objetivo principal destes subsídios será sempre ajudar a promover uma pastoral testemunhal, do encontro, do chamamento e do acompanhamento, ao serviço da comunhão e de uma Igreja sinodal, ao jeito da pedagogia de Jesus Cristo, onde cada um é interpelado a percorrer um caminho de verdadeiro discernimento vocacional, para que a Pastoral Vocacional seja, efetivamente, (re)colocada no coração das comunidades e se possa implementar uma renovada e profícua cultura vocacional, transversal a todos os setores de pastoral, a todo o dinamismo da ação eclesial.