Dinâmica Advento/Natal 2018

O Presépio, um lugar de encontro para todos

A caminhada diocesana, que nos guiará do início do Advento à Festa do Batismo do Senhor, tem como símbolo o tradicional Presépio, que se apresenta como um lugar convidativo, de entrada livre para todos. O tradicional Presépio é assim o ponto de encontro para todos, um lugar de encontro entre todos e por todos os meios possíveis. Por isso, propomos que se faça um Presépio familiar, em casa, na pequenina Igreja, à semelhança do Presépio comunitário, que construiremos na Igreja, logo na primeira semana do Advento. Mas porque o Presépio e a árvore de Natal comovem o coração de todos, até mesmo daqueles que não creem, propomos que se faça um Presépio em lugar público, convocando e envolvendo as forças vivas locais, para a sua construção e dinamização. Esta ideia de propor também um Presépio numa rua, numa encruzilhada, numa praça, permitir-nos-á, segundo o nosso Plano Diocesano de Pastoral, “criar comunidades missionárias que não passem a vida a repetir indefinidamente o que sempre se fez, mas a «fazer» evangelicamente o que há que fazer neste nosso tempo. E, hoje, temos de ser uma Igreja «fora de portas», uma «Igreja na rua». Particularmente as Paróquias” (Dom Manuel Linda, Plano Diocesano de Pastoral 2018/2019, n.º 5).

A ideia dominante desta caminhada é viver o Natal como festa do encontro e anúncio de alegria para todos, na certeza de que “a alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus” (EG 1). O nosso desafio é criar uma cultura do encontro, que alente cada pessoa e cada grupo a partilhar a riqueza das suas tradições e experiências, a abater muros e a construir pontes. Vão neste sentido as propostas que envolvem, além dos cristãos, todas as pessoas de boa vontade. Queremos dar à celebração do Natal deste ano, à sua preparação e vivência, esta perspetiva ampla do “encontro”, porque o Natal é, por excelência, a festa do encontro com Jesus, que inspira, mobiliza e motiva tantos outros encontros pessoais, familiares, eclesiais, sociais e culturais.

Apresentamos dezasseis propostas, como ideias inspiradoras ou despertadoras, para animar pastoralmente esta caminhada. Não queremos apresentar uma “proposta fechada”, a aplicar de maneira uniforme, mas provocar a iniciativa e a criatividade, que marquem de espírito missionário, e de forma poliédrica em toda a diocese, esta caminhada comum. Também a calendarização de algumas iniciativas é apenas uma sugestão, pois há sempre que atender à especificidade dos contextos paroquiais ou comunitários. Não queremos aqui propor um caderno de encargos a cumprir cegamente, mas apenas suscitar o entusiasmo e o empenho de todos, de modo a evitar que, também neste tempo de graça, se caia na tentação de seguir o cómodo critério pastoral do “fez-se sempre assim” (EG 33).

Convertamo-nos, pois, numa Igreja que convida: “Vinde e vede” (Jo 1,39), encarnando o espírito missionário, proposto pelo nosso Bispo: “Gostaria que todo o nosso ano pastoral fosse atravessado pela atitude geral e dominante do “amigo traz amigo” ou «todos à procura de mais um»” (Plano Diocesano de Pastoral 2018/2019, n.º 8).

Para facilitar a preparação atempada desta caminhada, disponibilizamos duas versões desta proposta, uma mais longa, com texto meditativos e uma mais breve, conforme o livreto impresso que será distribuído. Podem ainda aceder à imagem da capa, com ficheiros em vários formatos e ainda a outras imagens de capas alternativas, que podem ser usadas ao gosto de cada um. Boa caminhada e já sabem: o nosso ponto de encontro é o Presépio. Para todos.

Guião + Materiais apoio