Reconciliação em Tempo de Advento

Veja o Calendário das Confissões para o Tempo de Advento da Vigararia de Matosinhos.


EXAME DE CONSCIÊNCIA BATISMAL

Para fazer em silêncio antes da Confissão individual

  1. Pelo Batismo, somos dados à luz. Estou disposto(a) a abandonar as obras das trevas, isto é, o caminho da mentira, do ódio e da vingança? Quero revestir-me das armas da luz, para seguir o caminho novo do perdão, da bondade e da reconciliação? Há alguém a quem ainda não perdoei verdadeiramente?
  2. Pelo Batismo, somos habitados por Deus. Cuido do silêncio, da oração, da escuta, da leitura e meditação da Palavra de Deus? Ou vivo atulhado(a) em ruídos e imagens, que não deixam o Espírito Santo respirar e atuar, a partir do mais íntimo de mim mesmo(a)?
  3. Pelo Batismo, recebemos a graça de sermos filhos de um Deus maior. Acolho todos os homens e mulheres, de qualquer raça ou religião, como filhos e filhas de Deus, como meus irmãos e minhas irmãs em Cristo? Ou ignoro, desprezo ou maltrato os que não pensam, não creem ou não vivem como eu?
  4. Pelo Batismo, somos amados por Deus, antes mesmo de O conhecermos e de Lhe correspondermos a tão excessivo amor. Sou capaz de amar quem não me corresponde? Sou capaz de dar a quem não me retribui? Sou capaz de partilhar gratuitamente o meu tempo, o meu serviço, o meu dinheiro? Ou vivo apenas preocupado(a) com as minhas coisas? Procuro apenas o meu próprio interesse? Tenho, ao menos, um pobre por amigo?
  5. Pelo Batismo, nascemos de novo. O meu modo de pensar e de viver tem alguma coisa de novo em relação aos que não creem? Tenho a coragem de ser diferente, de ir contra a corrente? Vivo no tempo presente com temperança, justiça e piedade? Ou vivo, como os pagãos, dominado(a) por desejos mundanos, como se Deus não contasse para nada?
  6. Pelo Batismo, somos santificados e chamados à santificação. Como eleito(a) de Deus, santo(a) e predileto(a), deixo-me revestir de sentimentos de misericórdia, de bondade, de humildade e de paciência? Ou cedo à intolerância e à violência das palavras e dos gestos?
  7. Pelo Batismo, somos chamados pelo próprio nome. Deus ama-me, conhece-me e chama-me pelo nome. Honro o meu nome de cristã(o), pelo testemunho de uma vida feliz, pobre, simples, dedicada, generosa, corajosa e comprometida? Procuro conhecer e viver o projeto de Deus a meu respeito? Ou envergonho-me de Cristo e do meu nome de cristã(o), diante dos outros?
  8. Pelo Batismo, tornamo-nos todos filhos de Deus. Procuro crescer na fé, através da oração pessoal, familiar e comunitária? Sou capaz de sair de mim mesmo(a), para me unir à grande família dos filhos de Deus, que se alimentam, em cada domingo, à mesa da Palavra e da Eucaristia? Ou julgo que posso ser cristã(o) sozinha(o)?
  9. Pelo Batismo, somos enviados em missão. Vivo o meu sacerdócio batismal, oferecendo a minha vida como sacrifício de louvor? Assumo a minha missão profética denunciando as injustiças e anunciando o Evangelho com a própria vida? Levo a peito a edificação do Reino de Deus, lutando por um mundo mais fraterno e mais livre, onde haja lugar para todos?
  10. Sei de cor a data do meu Batismo? Faço memória do meu Batismo? Renovo, com frequência, a graça purificadora do meu Batismo, através deste Sacramento da Reconciliação? A graça do meu Batismo é «água viva» a mover-me, por um caminho de saída e com saída para a vida eterna? Ou o meu Batismo são “águas passadas” que não movem a minha vida para a frente?